Willian Mophos cria trabalhos em miniatura

 

O paulista William Mophos tem um quê do poeta Manoel de Barros. Ele leva para arte urbana a atenção para o detalhe, para momento especiais que acontecem no cotidiano e não em grandes palcos, como se fossem espetáculos.

Na galeria A7MA, Mophos apresenta uma serie de trabalhos. Junto a pinturas, há miniatura em que ele usa suportes estranhos à Arte tradicional. São pedaços velhos de madeira e placas de concreto desgastada. Intervém neles, ora com desvio, ora com colagem de objetos tridimensionais. Para quem gosta de fugir do padrão, é uma boa sugestão. Veja abaixo. 

 

 

 

 

 

Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo