Fotógrafo registra o fluxo imigratório do México aos EUA

A fronteira entre os Estados Unidos e México tornou-se uma questão importante na próxima eleição presidencial entre Trump e Hillary. Ela se estende em 3.169 quilômetros, atravessando desertos, rios, vilas e cidades do Pacífico até o Golfo do México. Todos os anos, cerca de 350 milhões de pessoas cruzam legalmente a fronteira entre México e Estados Unidos, o número se opõe totalmente ao tráfego ilegal de pessoas entre as fronteiras, cerca de 400.000 pessoas tentam entrar ilegalmente nos Estados Unidos. 
 

(Créditos: John Moore/Getty)


Não existe uma única barreira que se estende por toda a fronteira, em vez disso, ela é forrada com uma manta de retalhos de aço, concreto, cercas, câmeras infravermelho, sensores, drones, e cerca de 20.000 agentes da Patrulha da Fronteira dos Estados Unidos. 
 

(Créditos: John Moore/Getty)


Com o objetivo de explorar esse fluxo migratório, o fotógrafo da Getty Images, John Moore, tem feito a cobertura em diversos quilômetros da fronteira nos últimos anos, o fotógrafo captura imagens singulares de patulhas, fugas, prisões, detenções, e encontros entre aqueles que cruzam a fronteira e acabam sendo presos. 
 

(Créditos: John Moore/Getty)


Os mexicanos ficam na praia, olhando através da cerca da fronteira para os Estados Unidos. Essa foto foi capturada em maio de 2016, em Tijuana, México. Os mexicanos do lado de Tijuana tem permissão para se aproximar da cerca que divide a fronteira. No entanto, a Patrulha de Fronteira dos Estados Unidos controla rigidamente o lado de San Diego e só permite que os visitantes possam falar com seus familiares através da cerca durante o final de semana, restritas ao parque construído no entorno da cerca, o Friendship Park. 
 

(Créditos: John Moore/Getty)


Um piloto de helicóptero da US Customs and Border Protection olha através do óculos de visão noturna, enquanto busca por imigrantes ilegais, perto da fronteira EUA-México. Os soldados da patrulha fazem operações aéreas e pelo mar, ao redor do Rio Grande.
 

(Créditos: John Moore/Getty)

 

(Créditos: John Moore/Getty)

 

(Créditos: John Moore/Getty)

 

(Créditos: John Moore/Getty)

 

(Créditos: John Moore/Getty)

 

(Créditos: John Moore/Getty)

 

(Créditos: John Moore/Getty)

 

(Créditos: John Moore/Getty)

 

(Créditos: John Moore/Getty)

 

(Créditos: John Moore/Getty)

 

(Créditos: John Moore/Getty)

 

(Créditos: John Moore/Getty)

 

(Créditos: John Moore/Getty)

 

(Créditos: John Moore/Getty)

 

(Créditos: John Moore/Getty)

 

(Créditos: John Moore/Getty)

 

(Créditos: John Moore/Getty)

 

(Créditos: John Moore/Getty)

 

Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo