Fotógrafa Jasmin Meyer investiga seu corpo por meio de selfies

 

As fotografias de Jasmin Meyer parecem, a primeira vista, algo meio sem graça, com nada de novo para apresentar. É preciso uma segunda visita ao Tumblr da londrina para compreender o quebra-cabeça de imagens, alojado na seção "Arquivo".

Em cada selfie, ela parece descobrir-se. Investiga suas expressões facias cotidianas, seus braços, pernas e tronco. Os cliques eróticos se parecem com editoriais de moda, mas a graça está aí. 

O fato de usar a selfie de uma forma artística não a distancia do uso popular do autorretrato. Ela parece se divertir ao misturar os significados. Em vez de profanar a superexposição, ela a abraça. Entretanto, não se deixar dominar. Problematiza e tem um conjunto de fotos que mais se aproxima de um exercício de autoconhecimento. 

 

(Créditos: Jasmin Meyer)

 

(Créditos: Jasmin Meyer)

 

(Créditos: Jasmin Meyer)

 

(Créditos: Jasmin Meyer)

 

(Créditos: Jasmin Meyer)

 

(Créditos: Jasmin Meyer)

 

(Créditos: Jasmin Meyer)

 

(Créditos: Jasmin Meyer)

 

(Créditos: Jasmin Meyer)

 

(Créditos: Jasmin Meyer)

 

(Créditos: Jasmin Meyer)

 

(Créditos: Jasmin Meyer)

 

(Créditos: Jasmin Meyer)

 

Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo