Casuarina lança álbum que traz à luz atual safra de compositores

Ícone da nova geração do samba carioca, o grupo Casuarina conta com sete álbuns no currículo – cinco discos de estúdio, dois CDs e DVDs ao vivo – e diversos prêmios na bagagem.  

E agora, no dia 25 de maio, o grupo lançou seu mais novo trabalho, intilulado +100, que já está disponível nas plataformas digitais.

 

(Crédito:Divulgação/Leo Aversa)

 

O disco traz à luz a atual safra de compositores do gênero, complementando a proposta do show CentenáRIO Samba, no qual o grupo relembrava 100 anos de samba.

São 12 canções, entre elas, “Eta Lelê”, de Serginho Meriti e Claudemir, single lançado em dezembro de 2017; “Tempo Bom”, de autoria de Ivor Lancellotti e Roque Ferreira, que tem a participação nos vocais do bamba Martinho da Vila; “Quero mais um samba”, samba de Rogério Bicudo e Raul Sampaio, que conta com o rapper Criolo;  “Embira”, composta por André Cadé e Raul DiCaprio, cantada com Geraldo Azevedo, e “Herança de Partideiro”, de Hamilton Fofão, sobrinho neto do sambista Silas de Oliveira, em parceria com Ivanir Ramos, gravada com Leci Brandão.

 

(Créditos: Reprodução)

 

Por si só, o mais recente álbum do Casuarina já se apresenta com novidade e frescor. Pela primeira vez, um disco do grupo chega às lojas (físicas e digitais) sem a presença do cantor, compositor e instrumentista João Cavalcanti.

 Casuarina segue renovado e renovador com Gabriel Azevedo (voz, percussão e coro), Daniel Montes (violão de 7 cordas, coro e arranjos), João Fernando (bandolim, violão tenor, coro e arranjos) e Rafael Freire (cavaquinho, banjo e coro), num time em que, com talento e vivacidade, todos envergam a camisa 10.

Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo