Maikon K volta a apresentar performance em Brasília

O artista e performer paranaense Maikon Kempinski, conhecido como Maikon K, foi preso na tarde deste sábado pela Polícia Militar do Distrito Federal, enquanto apresentava a sua performance DNA de Dan em frente ao Museu Nacional da República.

A apresentação fazia parte da programação do evento Palco Giratório, mostra teatral promovida pelo Sesc.

 

(Créditos: Reprodução)

 

Durante a ação, o dançarino e performer paranaense Maikon Kempinski acabou detido e levado para a 5ª Delegacia de Polícia da capital, onde precisou assinar um termo circunstanciado de ato obsceno.

Em nota, a PM afirmou ter sido avisada de que havia um homem nu no Museu da República. Após ser informada de que se tratava de um trabalho artístico, "não foi apresentada nenhuma documentação/autorização do museu tampouco da administração de Brasília, foi determinada a paralisação da referida exposição e foi dada voz de prisão ao elemento nu."

++ Conheça a Trackers, o underground do undergound

No domingo (16/7) à tarde, após ser liberado, o artista publicou um texto em seu perfil no Facebook. Nele, Maikon se diz indignado com o episódio e com a ação policial, que tanto o impediu de completar o seu trabalho como danificou o material cenográfico da performance.

Agora, após receber um pedido de desculpas do governador, Maikon K ouviu que a arte era bem-vinda em Brasília, por isso, quer ter a chance de concluir a performance interrompida.

 

 

 

Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo