Abertas as inscrições para a 21ª Bienal de Arte Contemporânea

Fica aberta até o dia 10 de agosto de 2018, a convocatória para seleção de artistas para a 21ª Bienal de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil.

Podem se inscriver obras em qualquer formato e linguagem vindas do Sul Global, de países de língua portuguesa e de integrantes de povos originários de qualquer país.

Os artistas selecionados participam da exposição no Sesc 24 de maio e nas atividades paralelas no Galpão VB (São Paulo, Brasil), entre outubro de 2019 e fevereiro de 2020 e passam a concorrer a cinco prêmios, concedidos por um júri internacional.

//Prêmio Estado da Arte – Prêmio em dinheiro no valor de R$ 100 mil para a melhor participação de artista ou grupo;

//Prêmio Sesc de Arte Contemporânea – Dois prêmios para obras de artistas brasileiros no valor de R$ 50 mil cada. As obras passam a integrar o Acervo Sesc de Arte Brasileira;

//Prêmios de residência – Três prêmios oferecidos para jovens artistas, para apoio e produção de uma obra inédita dentro da Rede de Residências Videobrasil (detalhes anunciados em breve);

//Prêmio O.F.F. – Prêmio em dinheiro no valor de R$ 25 mil oferecido pelo Ostrovsky Family Fund para um/a artista com investigação original sobre a imagem em movimento.

 

(Crédito:Reprodução/Soga de Muerto - Felipe Esparza Perez )

 

Mudanças conceituais

A favor de um posicionamento mais nítido no cenário global das artes, e sem descuidar das mudanças em curso no contexto local,  foi adotado de agora em diante o nome Bienal de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil. 

Com o dinamismo e a originalidade que o caracterizam, o Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil chega a uma nova fase, integrando-se aos propósitos e ao calendário internacional de Bienais.

Com abertura em outubro de 2019, a 21a edição se desdobra em três plataformas curatoriais – exposição + programa de filmes, programas públicos e publicação –, cada uma a cargo de um curador convidado.

Para saber mais e se inscrever, clique aqui!

 

Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo