Casa das Rosas presta homenagem à James Joyce

Casa Guilherme de Almeida e a Casa das Rosas organizam uma programação especial para homenagear o célebre escritor irlandês James Joyce. 31 anos de Bloomsday é gratuito e acontece entre os dias 15 e 16 de junho.

 

(Crédito:Divulgação)

 

Abrindo as celebrações, na sexta-feira, das 19h às 21h, Maria Teresa Quirino comandará a palestra Desvendando o Ulysses, de James Joyce, que será realizada na Casa Guilherme de Almeida.

A proposta é traçar um panorama da obra do irlandês, e também a história da recepção do livro e da compreensão crítica de suas características.

A palestrante é mestra em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês, e doutora em Letras. É também professora de português e de inglês, e tradutora e estudiosa da obra de James Joyce.  

 

(Crédito:Divulgação)

 

Já no sábado, das 15h às 16h15, será a palestra Indeterminação de sentidos no Ulysses de James Joyce, cuja convidada é Amara Moira.

A ideia é discutir a utilização de efeitos sonoros – particularmente das onomatopeias – na obra do irlandês. O tema da atividade, que também será na Casa Guilherme de Almeida, é o mesmo da tese de doutorado de Amara, que é professora e escritora.

Logo depois, às 16h30, será o debate via internet Ulisses, um estudo, mediado por Marcelo Tápia, diretor dos Museus-Casas Literários e atual organizador do Bloomsday em São Paulo.

O bate-papo contará com a presença do professor e crítico Aguinaldo Médici Severino, que é também estudioso da obra de Joyce, e do escritor Abdon Franklin de Meiroz Grilo, que é autor do livro Ulisses, um estudo, que foi recém-publicado.

 

(Crédito:Divulgação)

 

O evento festivo O Cidadão em Ulysses fechará as comemorações no sábado, das 19h às 21h30, na Casa das Rosas.

O tema deste ano é o capítulo 12 de Ulysses – que conta o episódio do Ciclope, da Odisseia de Homero –, que é quando surge o nacionalista Cidadão, um dos personagens mais marcantes do romance.

Além de música e dança tradicionais da Irlanda, também haverá leituras de trechos da obra de Joyce em diversos idiomas.

E, por fim, o velório de Finnegan, baseado no romance Finnegans wake, do escritor, também será lembrado por conter semelhanças e ligações com o conto Quincas Berro D‘Água, do brasileiro Jorge Amado.

Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo