Unindo diferentes técnicas, peça expõe debilidades sociais

Unindo a comédia de costumes ao Grand Guignol, o espetáculo do grupo Os PataPhísicos fica em cartaz até o dia 28 de julho no Teatro Serrador, no Rio de Janeiro.

Até que ponto o ser humano é capaz de se adaptar a situações de extrema miséria e terror, além de extrapolar seus códigos comportamentais, em um ambiente de absoluta devastação social?

Essa é a questão central da trama de A Grande obra de arte da pós recessão.

 

(Crédito:Divulgação/ Conrado Krivochein)

O espetáculo tem em seu elenco Dani Carvalho, Edson Santiago, Henrique Trés, Raphael Janeiro e Éder Montalvão, este último convidado pelo grupo para integrar o elenco do espetáculo.

 O contexto no qual se insere a narrativa é de uma (não tão) hipotética e severa recessão nos meios de produção, que limita as possibilidades de obtenção de comida.

Os mercados não vendem mais alimentos. As indústrias nada produzem. O cenário é o apartamento do casal Catarina e César, onde trabalha o mordomo Carlos.

 

(Crédito:Divulgação/ Conrado Krivochein)

 

O terror do Grand Guignol e a sutileza da Comédia de Costumes servem ao mesmo propósito, expor as debilidades sociais do ser humano.

Unir técnicas teatrais tão distintas em A Grande Obra de Arte da Pós Recessão deixa latente como o mesmo ambiente, de absoluta miséria, pode gerar situações de aparente harmonia, como também trazer à tona a crueza e objetividade humana.

  • Teatro Serrador - Rua: Sen. Dantas, 13 - Centro, Rio de Janeiro
    + Ver mapa
  • 16/07/2018 a 28/07/2018
  • Quinta a sábado: 19h30.
  • Inteira R$40. Meia R$20.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo