Rubem Ludolf e o construtivismo são temas de exposição

A carreira de Rubem Ludolf é lembrada na mostra Rubem Ludolf e o Plano da Cor, a partir de 22 de março, na Galeria Berenice Arvani.

A mostra percorre a produção deste importante nome do construtivismo brasileiro desde o início dos anos 1950, até chegar aos trabalhos criados em seus últimos anos de vida.

Rubem Ludolf participou em meados dos anos 50 da III Bienal de São Paulo e do Grupo Frente, ao lado de expoentes da arte brasileira, como Ivan Serpa, que foi seu professor, Lygia Clark, Aluísio Carvão, João José da Silva Costa, Franz Weissman e Helio Oiticica, entre outros.

Desta fase destaca-se a construção metódica de um pensamento plástico, marcado pela organização do espaço pictórico. Ludolf cria campos de forças onde elementos dispostos dinamicamente, se atraem em jogos de equivalências visuais.

 

(Créditos: Reprodução)

 

A mostra acompanha as mudanças de suas pinturas na década de 60, conhecida como fase das “Tramas”, e o retorno ao abstracionismo geométrico na década de 1980.

A ênfase desta mostra está nas soluções construtivas realizadas entre as décadas de 70, 80, 90 e 2000, que aprofundaram e recriaram o vigor de sua precisão concreta, por meio de pinturas, caixas de acrílico e serigrafias.

Assim, são expostas tanto suas pinturas ligadas ao concretismo paulista quanto suas tramas de cores dos anos 60. A seleção engloba, ainda, trabalhos figurativos do artista.

 

Legenda

 

  • Galeria Berenice Arvani - Rua Oscar Freire, 540 - Cerqueira César, São Paulo
    (11) 3082-1927
    + Ver mapa
  • 22/03/2017 a 28/04/2017
  • Segunda a Sexta: 10h às 19h.
  • Entrada gratuita.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo