Peças internacionais do Festival Mirada chegam a capital

Após bem sucedida temporada no Mirada, o Festival Ibero-Americano de Artes Cênicas de Santos, espetáculos da Argentina, Chile, Espanha, México e Uruguai, resolveram estender a permanência no Brasil. A programação, que inclui duas produções nacionais, segue para unidades do Sesc na capital e em Sorocaba. 

O evento acontece na cidade litorânea entre os dias 8 e 18 de setembro, com 43 espetáculos, enquanto a edição paulistana se dá de 15 de setembro a 13 de novembro, com 9 trabalhos e um novo nome: Extensão Mirada. O festival busca relacionar o pensamento crítico e político com a busca permanente por inovação em temas, técnicas e formas de se fazer arte.

Os espetáculos internacionais serão apresentados com legendas em português.

Confira a programação:

 

SESC POMPEIA

 

Lo único que necesita uma gran actriz es uma gran obra y las ganas de triunfar México - Com a Cia. Vaca 35 - Dirigida por Damián Cervantes

15 e 16/9. Quinta e sexta, às 21h. Classificação: 16 anos.

(Créditos: Paula Prieto)

A obra é inspirada em As Criadas e em uma frase de Querelle de Brest – “A humildade só pode nascer da humilhação, se não é falsa arrogância” – ambas de Jean Genet. A proposta é que o diálogo entre o espaço e a atriz se dê com a mínima estrutura, justamente para revelar os limites reais e ficcionais do ator, do personagem, do espectador, do espaço e da própria peça dramática. O espetáculo se articula a partir de dois temais centrais: a vida em sua rotina mecânica e o teatro como espaço de autenticidade em um mundo que tem transformado a arte em mercadoria.
 

Cuando todos pensabam que habíamos desaparecido - Gastronomiaescenica  

México - Com a Cia. Vaca 35 - Dirigida por Damián Cervantes

17 e 18/9. Sábado, às 20h, e domingo, às 19h. Classificação: 14 anos.

(Créditos: Héctor Ortega)

Ao contrário do tabu ocidental, na cultura mexicana, o Dia de Finados é celebrado com casas enfeitadas e familiares e amigos preparando os pratos favoritos daqueles que não se encontram mais fisicamente entre eles. Em vez de cobrir com terra, cravar uma lápide ou perpetuar o silêncio, o espetáculo propõe ao espectador vivenciar um ritual com pitadas de música, canto, dança, humor, ironia, crítica social, violência, máscara e memória dos artistas que, enquanto narram, manejam utensílios, talheres, legumes, verduras e ingredientes para cozinhar sobre uma mesa cenográfica.

 

 

SESC PINHEIROS

 

¿Que haré yo com esta espada? Aproximación a la ley y al problema de la belleza 

Espanha - Com atuação e direção de Angélica Liddell

17 e 18/9. Sábado e domingo, 18h. Classificação: 18 anos. 

 

(Créditos: Divulgação)

O trabalho, que estreou no Festival d’Avignon, parte de dois crimes transcorridos em Paris: o canibalismo do universitário japonês Issei Sagawa, que esquartejou a namorada e declarou tê-lo feito por amor, em 1981, e o terrorismo dos ataques em série que deixaram 130 mortos em novembro de 2015. Apesar de macabros, a artista catalã Angélica Liddell prospecta em cena uma tomada de consciência da própria existência, uma rebelião contra o racionalismo. Fala em nostalgia do infinito, do inapreensível, do sagrado. E cita Nietzsche: “Como transformar a violência real em poética para nos colocar em contato com a verdadeira natureza, mediante atos contra a natureza?”.

 

SESC IPIRANGA

 

No daré hijos, daré versos

Uruguai - Com atuação e direção de Marianella Morena

20 e 21/9. Terça e quarta, 20h. Classificação: 14 anos.

(Créditos: Divulgação)

O drama intercala prosa e canções a partir da vida e da obra da poeta Delmira Agustini, cuja memória e a arte andavam relegadas até ganhar novo alento nos últimos anos. Ela morreu assassinada a tiros pelo ex-marido. A dramaturga e diretora Marianella Morena compõe três atos em movimentos distintos em gênero e linguagem, do realismo ao hiper-realismo, questionando a premissa de verdade única borrando o real, a história e a ficção.

 

SESC VILA MARIANA

 

La Contadora de Películas

Chile - Com a Cia. Teatrocinema - Dirigida por Sofia Zagal 
21 e 22/9. Quarta e quinta-feira, 21h. Classificação: 10 anos.

(Créditos: Divulgação)

Não é difícil imaginar as dificuldades de quem vive e trabalha na região das minas de salitre no deserto de Atacama, no norte chileno. Foi lá que o escritor Hernán Rivera Letelier passou a infância e, por isso, escolheu a geografia isolada para ambientar sua história. O espetáculo perpassa a infância e a vida adulta de María Margarita que, por causa do pai inválido, passou a narrar a ele, e depois a outros impossibilitados de ir ao cinema, as aventuras, dramas e comédias a que assistia. 

 

A Tragédia Latino-Americana e a Comédia Latino-Americana

Brasil - Com a cia. Ultralíricos - Dirigida por Felipe Hirsch

07/10 a 13/11 – Quintas, sextas e sábados, às 20h, e domingos, às 17h. Classificação: 18 anos.

(Créditos: Patricia Cividanes)

A obra trata de política e de questões como educação, violência, consumo desenfreado e até os recentes protestos pelo país. A ideia inicial era fazer “uma tragédia um pouco mais carinhosa e a comédia, mais violenta”, diz o diretor. E assim deve ser. A música confere um caráter ritual que desdobra em uma espécie de “ópera macabra ou musical farrista”. Na dramaturgia, fragmentos, adaptações e trechos de narrativas em prosa ou poesia da Argentina, Brasi, Chile, Colômbia, Cuba, Equador, México e Uruguai, entre outros. A cenografia é delimitada por enormes blocos de isopor.

 

SESC CONSOLAÇÃO

 

Psico/Embutidos, Carnicería Escénica

México - Escrito e dirigido por Richard Viqueira

23/9 a 1/10. Terça a sexta, 20h e 20h30. Sábado e domingo, 17h e 17h30. Classificação: 18 anos.

(Créditos: Samuel Padilla Adorno)

Uma instalação cênica replica o aparelho digestivo e propõe uma vivência sensorial ao cumprir essa travessia dentro do organismo vivo. A obra "deglute" os espectadores, estimulados a transitar pela estrutura em diferentes níveis, no limite de 8m, contornando obstáculos até a etapa em que todos são, simbolicamente, expulsos do mecanismo. O itinerário é feito de encontros com os 19 atores, um a um, cujas idades variam da casa dos 20 aos 30 anos. A instalação funciona tanto no momento da apresentação como após a sessão.

 

Leite Derramado

Brasil – Com a cia. Club Noir - Dirigida por Roberto Alvim

14/10 a 13/11. Quinta a sábado, às 21h, e domingos, às 18h. Classificação: 16 anos.

(Créditos: Divulgação)

A obra de Chico Buarque traz uma visão panorâmica de séculos da história do país, apontando a necessidade urgente de reconstruirmos procedimentos éticos em direção a novas possibilidades de ação política. Em seu estertor delirante, abandonado numa maca em um corredor de hospital público, o protagonista Eulálio Assumpção, de cem anos, é atravessado por um pandemônio no qual ruem as fronteiras que separam mundo interno e mundo externo, passado e presente, memória e imaginação, religião e poder, indivíduo e sociedade, política e mitologia.

 

SESC SOROCABA E SESC BOM RETIRO

Dínamo

Argentina - Com a cia. Timbre 4 - Dirigida por Claudio Tolcachir, Lautaro Perotti e Melisa Hermida
Sesc Sorocaba: 21/9. Quarta-feira, 20h.

Sesc Bom Retiro: 24 e 25/9. Sábado, às 18h, e domingo, às 21h.

(Créditos: Sebastián Arpesella)

Três mulheres compartilham um trailer perdido em alguma estrada qualquer. Em princípio, elas não sabem da presença das demais. A peça expõe como tanta solidão e estranhamento podem gerar novas energias à vida. Ada, 70 anos, trabalhou com arte performática e anseia reencontrar o pulso criativo e o amor; Marisa, a sobrinha, a mobiliza em outros sentidos, pois deseja voltar a ser tenista após anos internada devido a alucinações. Harima é imigrante e tenta contatar a família e o filho pequeno que ficaram para trás.

 

  • Sesc Pompeia - Rua Clélia, 93 - Pompéia, São Paulo
    (11) 3871-7700
    + Ver mapa
  • 15/09/2016 a 13/11/2016
  • Consultar programação.
  • R$ 40 (inteira), R$ 20 (meia) e R$ 12 (credencial plena do SESC).
  • Consultar programação.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo