Peça retrata a vida de um homem chamado "Lady Christiny"

O monólogo Lady Christiny, que estreia 20 de março no Teatro SESI do Rio de Janeiro, mostra a discriminação que o personagem principal, uma travesti, enfrenta a partir do momento em que, ainda como Celso Marques, toma a decisão de ser Lady Christiny.

A montagem é baseada no documentário homônimo dirigido por Alexandre Lino, que interpreta Lady,  sobre Chris – como ele mesmo a chamava – lançado em 2005 e com passagens por 42 festivais, inclusive em países como Itália, Portugal e Uruguai.

A personagem é uma travesti que nunca se prostituiu, com uma visão conservadora da vida e que, mesmo mantendo uma conduta séria e respeitável e sendo bem sucedida profissionalmente, não deixou de enfrentar as discriminações e as dores de uma opção de vida da qual, segundo ela, não há volta.

 

(Créditos: Divulgação)

 

A peça mistura realidade, ficção e cinema, rompendo a dramaturgia convencional e propondo ao espectador a provocação pelo discurso. O público é convidado e estimulado a fazer perguntas ao personagem. Um encontro com o Teatro do Pertencimento.

“Estive muito próximo a Lady Christiny em 1992 (pela TV) depois em 1995 (primeiro encontro) e em 2005 quando dirigi nosso documentário. E em todos os momentos em que estivemos juntos, percebi um lugar de pertencimento naquela realidade, que não era a minha, mas me transportava para lugares muito mais profundos. Evocá-la no palco é a conclusão desse encontro infinito e que só a arte documental poderia proporcionar por seu pacto com a verdade”, diz Alexandre Lino.

 

  • Teatro SESI - Avenida Graça Aranha, 1 - Centro, Rio de Janeiro
    (21) 2563-4168
    + Ver mapa
  • 20/03/2017 a 18/04/2017
  • Segunda e terça: 19h30.
  • Inteira: R$ 20. Meia: R$ 10.
  • Classificação: 16 anos.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo