Peça ganhadora do Prêmio Nobel fala sobre a condição da mulher

(Créditos: Mariana Chama)

 

Em cinco peças curtas, a ciadasatrizes dá continuidade à sua pesquisa cênica sobre o lugar da mulher na sociedade e no teatro. Dramas das Princesas caminha no sentido contrário às histórias "falocêntricas”, trazendo à cena discursos misóginos proferidos com um toque de sarcasmo pelas próprias protagonistas. Ao lado da diretora Maria Tendlau, o grupo explora contradições da condição da mulher, como fama x apagamento, poder x impotência e status x vitimização. O espetáculo de Elfriede Jelinek fica em cartaz na Oficina Cultural Oswald Andrade até 1º de outubro, com entrada gratuita.

A peça da austríaca vencedora do Prêmio Nobel de Literatura ganhou uma encenação de forte caráter crítico e performativo, desconstruindo as perspectivas atribuídas aos "ser feminino". As cinco peças são encenadas na tentativa de se criar um espaço expositivo, no qual, ao longo do espetáculo, o público possa se posicionar para ver cada uma delas. Artur Kon, Carla Massa, Daniela Alves, Paula Carrara, Mariana Otero, Mariana Zink, Renan Marcondes e Tetembua Dandara compõe o elenco.

A autora ainda trabalha com os clichês de contos de fadas e com a Morte, geralmente representada na forma de um homem, explorando as dificuldades de simplesmente viver. Em uma das encenações, por exemplo, Bela Adormecida questiona se o príncipe que lhe beijou tem direitos sobre ela simplesmente por ter quebrado o feitiço que a fazia dormir.

 

  •  (Crédito: Mariana Chama)
    (Crédito: Mariana Chama)
  •  (Crédito: Mariana Chama)
    (Crédito: Mariana Chama)
  •  (Crédito: Mariana Chama)
    (Crédito: Mariana Chama)
  •  (Crédito: Mariana Chama)
    (Crédito: Mariana Chama)
    • Oficina Cultural Oswald de Andrade - Rua Três Rios , 363 - Bom Retiro, São Paulo
      (11) 3222-2662 / (11) 3221-4704
      + Ver mapa
    • 01/09/2016 a 01/10/2016
    • Quinta a sábado: 20h. Sessões extras no dias 14, 21 e 28 de setembro: 20h.
    • Entrada gratuita
    • Classificação: 16 anos
    Comentários
    Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo