Oficina Cultural celebra cultura amazonense em festa quilombola

A partir de 11 de janeiro, a Oficina Cultural Alfredo Volpi apresenta o projeto Amazonizando Sampa, uma forma de estreitar as relações de Amazônia e São Paulo a partir do Marabaixo, tradição quilombola inédita na cidade.

Principal manifestação cultural do Amapá realizada há mais de 200 anos, a Festa do Marabaixo reúne música, dança, gastronomia e religiosidade, louvando o Divino Espírito Santo e a Santíssima Trindade ao longo de 61 dias: do sábado de Aleluia ao domingo pós Corpus Christi.

 

(Créditos: Divulgação)

 

A primeira atividade do projeto é O levantar do mastro, que apresenta os valores simbólicos e tradicionais do Marabaixo, pela influência da natureza, o sincretismo religioso, a inspiração das letras e ladrões, a forma de dançar, a origem e a evolução da tradição. Os encontros vão de 11 de janeiro a 1 de fevereiro, toda quinta-feira às 19h.

No dia 1 de fevereiro, ainda às 19h, acontece a I roda de Marabaixo e Levantar dos mastros, onde os participantes da atividade anterior realizam a primeira roda de Marabaixo, levantando dois mastros na Oficina Cultural, o que inaugura simbolicamente o projeto.

 

(Créditos: Divulgação)

 

Explorar a construção do ladrão e as danças tradicionais da manifestação é a proposta da oficina Corporeidade, ladrão e dança do Marabaixo, que acontece entre 22 de fevereiro e 29 de março, quinta-feira às 14h.

Ladrões são as canções que animam as festas amapaenses, assim chamadas porque, durante a cantoria, um participante pode “roubar” a pausa do outro e, a partir disso, compor um novo verso improvisado. 

Nas danças da festa, o corpo é o principal elemento para a busca da ancestralidade africana, abrindo caminhos para a descoberta da história de cada indivíduo que, depois de compreender sua ancestralidade, constrói novos ladrões para contá-la a todos.

 

(Créditos: Reprodução)

 

Para encerrar o ciclo de atividades, no dia 5 de abril, quinta-feira às 19h, acontece a II Roda de Marabaixo, com a apresentação dos resultados da oficina Corporeidade e Ladrão de Marabaixo em uma prática da tradição com apresentação de dança, canto, e dos ladrões produzidos pelos participantes.

 

Para maiores informações sobre Amazonizando Sampa, acesse o site da Oficina Cultural Alfredo Volpi.

  • Oficina Cultural Alfredo Volpi - Rua Américo Salvador Novelli, 416 - Itaquera, São Paulo
    (11) 2205-5180
    + Ver mapa
  • 11/01/2018 a 05/04/2018
  • Quinta: 19h.
  • Entrada gratuita.
  • Para verificar classificação etária e mais informações sobre cada atividade, acesse o site da Oficina Cultural.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo