Teatro Oficina apresenta peça inspirada em tragédia grega

Uma das obras mais conhecidas do Teatro Oficina, Bacantes, entra em cartaz no Sesc Pompeia no dia 21 de outubro. A peça reconstitui o ritual de origem do Teatro em 25 cantos e cinco episódios. Com música composta por Zé Celso, que também assina a autoria e direção, é a última tragédia grega conhecida – Bakxai, de Eurípides –  é encenada como ópera de Carnaval para cantar o nascimento, morte e renascimentos de Dionisios, Deus do Teatro, do vinho e do carnaval.
 

(Créditos: Divulgação)

 

Com a ascensão do fascismo e da direita em escala global, Penteu é a personagem mais contemporânea da peça. Ele está presente na cabeça dominante do golpe no Brasil, herança de nosso legado racista, patriarcal e escravocrata, que tem na propriedade privada a legitimação de genocídios; é a possibilidade concreta de Donald Trump se tornar presidente dos Estados Unidos; é o discurso de "hategroups" que não conseguem contracenar com as diferenças.

 

(Créditos: Divulgação)

 

No terceiro ato, o coro de Bacantes e Sátiros, o movimento das mulheres que reexiste frente ao machismo, conduzidos por sua mãe, estraçalha e devora Penteu num trágico banquete antropófago – um rito de adoração da adversidade, que abomina práticas de neutralização ou extinção de outras culturas, pensamentos, estéticas e visões de mundo.
 

(Créditos: Divulgação)


O rito vive a chegada de Dionyzio (Marcelo Drummond), filho de Zeus (Fred Steffen) e da mortal Semelle (Camila Mota), em sua cidade natal, TebaSP, que não o reconhece como Deus. Trava-se o embate entre o mortal Penteu (Fred Steffen), filho de Agave (Joana Medeiros), que, através de um golpe de estado, tomou o poder do avô, o Governador Kadmos (Ricardo Bittencourt e Sergio Siviero) e tenta proibir a realização do Teatro dos Ritos Báquicos oficiados por Dionyzio e o Coro de Sátiros e Bacantes nos morros da cidade. Bacantes teve sua primeira montagem em 1995. Suas últimas apresentações aconteceram em janeiro de 2012. 

  • Sesc Pompeia - Rua Clélia, 93 - Pompéia, São Paulo
    (11) 3871-7700
    + Ver mapa
  • 21/10/2016 a 23/10/2016
  • Dia 21 de outubro, sexta-feira, às 18h | Dia 22 de outubro, sábado, às 18h | Dia 23 de outubro, domingo, às 17h
  • R$ 40 (Inteira) R$ 20 (Meia)
  • Classificação etária: 16 anos
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo