Matilha Cultural exibe curtas metragens da Mostra Independente

O Cine Matilha exibe de 15 de novembro a 18 de dezembro os filmes selecionados na 1ª Mostra de Filmes Independentes. Após dois anos da Chamada Pública, esta será a primeira edição. No total, foram 411 inscritos e 77 selecionados pela curadoria do Cine Matilha, realizada por parceiros do espaço.

 

(Créditos: Divulgação)

 

O principal objetivo do projeto é dar a oportunidade a filmes e diretores exibirem suas obras, mesmo sem contar com uma distribuidora de peso. Neste ano, a Chamada Pública recebeu filmes de todo o Brasil, além de países como Angola, Argentina, Cabo Verde e Portugal.

 

(Créditos: Divulgação)

 

A maioria dos filmes recebidos está nas categorias documentário e ficção. Dentre os programados, estão Aluga-se, de Marcela Lordy, participante da 13° Edición del Festival Internacional De Cine De Martil e do Festival Internacional De Cine De Huesca.

Da mesma diretora, estão programados também Sonhos de Lulu e A musa Impassível. Outros destaques são Central, de Tatiana Sanger, vencedor na categoria melhor documentário no Festival Festin - Lisboa/Portugal Língua Portuguesa e Cine Camelô, de Clarice Knoll, selecionado para o 28º Interfilm International Short Film Festival Berlin e integrante da Seleção Oficial - 61º Melbourne International Film Festival.

Dentre as obras programadas, também estão o documentário Juizados.doc: um olhar sobre a violência de gênero e as práticas institucionais, de Cristiane Brandão e José Eduardo Acevedo, que aborda os juizados da violência doméstica e familiar contra a mulher, instituições do Poder Judiciário com competência para processar e julgar os casos da Lei Maria da Penha. Toda a programação e horários você confere aqui.

  • Matilha Cultural - Rua Rego Freitas, 542 - República, São Paulo
    (11) 3256-2636
    + Ver mapa
  • 06/12/2016 a 11/12/2016
  • Conferir o horário das exibições na programação.
  • Conferir os valores e gratuidade na programação.
  • Conferir a classificação etária na programação.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo