"Britadera" evidencia talentos da cultura periférica

Criado para evidenciar talentos da cultura periférica do mundo, Britadeira - Sons de Favela é o nome do projeto que toma conta do Sesc Pompeia entre os dias 20 e 21 de abril.

Britadeira propõe a envolvente mistura entre sons criados em locais distintos geograficamente, mas que compartilham boas conformidades, seja no modo de produzir, na poética, ou pela simples irreverência.

A precisão das linhas de guitarra haitianas encontra a força expressiva do novo rap nacional. A batida frenética do kuduro se mistura à rebeldia revolucionária e erótica do funk carioca.

O evento destaca os maiores nomes da música produzida nas periferias da América Latina e África.

 

// 20 DE ABRIL 

 ABRONCA (RJ) abre os trabalhos com suas rimas contundentes e beats dançantes. Slick, Jay e Mari são as ex-Pearls Negras, que retornam para relatar trajetórias negras e femininas no dia-a-dia nos morros cariocas.

Crédito: (Divulgação/Vincent Rosenblatt)

 

Na sequência  Wesli (Haiti) sobe ao palco com letras em francês, inglês e crioulo haitiano. Sua banda mescla reggae roots, afrobeat, soul e música haitiana e é formada por músicos de diferentes países da América Central (Cuba, República Dominicana), hoje habitantes canadenses, que passaram por processos migratórios.

Deslocamentos humanos, portanto, são a tônica das enérgicas canções de Wesli, que junto à sua big band, prova porque é um dos mais badalados nomes haitianos em festivais e feiras de música mundo afora.

Crédito: (Divulgação/Romulo Juracy)

 

//21 DE ABRIL

 MC Carol (RJ) de Niterói (RJ), a funkeira é presença garantida nos bailes da zona norte do Rio há quase cinco anos. 

Detentora de inúmeros sucessos, como ‘Minha Vó Tá Maluca’, ‘Bateu Uma Onda Forte’, ‘Jorginho Me Empresta a Doze’, e outros, o público pode esperar uma noite para descer até o chão.

Crédito: (Divulgação/ Fernando Schlaepfe)

Logo após  Titica (Angola) ícone do kuduro angolano. Artista Trans e Embaixadora da ONU, a trajetória da cantora é transversal à luta contra a homofobia e é revertida
de forma alegre em seu show, que traz o mais repercutido som das ruas de Luanda atualmente.

Titica se apresentou no palco sunset do Rock in Rio 2017 junto com o BaianaSystem. A parceria rendeu o clipe/single “Capim-Guiné”

Crédito: (Divulgação/Romulo Juracy)

 

  • Sesc Pompeia - Rua Clélia, 93 - Pompéia, São Paulo
    (11) 3871-7700
    + Ver mapa
  • 20/04/2018 a 21/04/2018
  • Sexta e sábado: 21h30
  • R$ 40,00 (inteira), R$ 20,00 (meia), R$ 12,00 (carteirinha Sesc)
  • 18 anos
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo