Exposição reúne obras brasileiras sobre cotidiano dos artistas

(Créditos: Divulgação)

 

Com a proposta de destacar a arte popular brasileira, a Galeria Jacques Ardies encerra calendário com a Grande Coletiva Naïf, que exibe obras que tratam do cotidiano dos artistas e suas experiências de vida.

+ Fotógrafo viaja fotografando bibliotecas pelo mundo

Com mais de 80 obras, de 30 artistas brasileiros, a exposição, que tradicionalmente encerra a agenda expositiva da galeria,  mescla formas distintas de se fazer arte, cada uma com o seu conceito e processo criativo particular.  

 

(Créditos: Divulgação)

 

No Brasil, o movimento naïf se consolidou a partir dos anos 1940, e é uma expressão artística que surgiu na eclosão da arte moderna. Os artistas naïfs, via de regra, não pretendem seguir as regras da academia, e, por meios próprios, inventam uma linguagem pessoal, expressando suas experiências de vida.

+ Teatro Heliópolis fala sobre aprendizado em peça gratuita

Com determinaçãobuscam superar eventuais dificuldades técnicas, propondo uma arte original, sem compromisso com a perspectiva e executada com total liberdade. A palavra francesa “naïf” foi utilizada para definir o estilo de Henri Rousseau, que apresentava uma artepersonalíssima e encantadora. 

  • Galeria Jacques Ardies - Rua Morgado de Mateus, 579 - Vila Mariana, São Paulo
    + Ver mapa
  • 08/11/2017 a 22/12/2017
  • Terça a sexta: 10h às 17h30. Sábado: 10h às 16h
  • Entrada Gratuita.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo