Exposição coloca à prova identidades e percursos de nosso corpo

De 5 de outubro a 4 de novembro, a exposição Corpos que Percorrem um Espaço Dividido reúne trabalhos, processos, performances, acontecimentos, inventários, arqueologias, instalações de dez artistas, no Complexo Cultural Funarte.

Eles encorajam a pensar, muitas vezes, na contramão de uma visão heteronormativa, branca, cisgênero. São representações de corpos que se configuram política e publicamente – ou simplesmente uma constatação de que o corpo pode existir e se relacionar como e onde quiser.

 

(Créditos: Divulgação)

 

A exposição é resultado da Segunda Temporada de Residência Artística e Ateliês Educativos 2017, para artistas, produtores e curadores, propostos pelo Coletivo Amuela, em parceria com o Ministério da Cultura.

Com curadoria de André Fernandes e João Gomes, a exposição está distribuída em três espaços: nas galerias Flávio de Carvalho e Mario Schenberg e no ateliê onde ocorreu a residência.

 

(Créditos: Divulgação)


Os trabalhos colocam-se em dois eixos temáticos: identidades e percursos. Sendo assim, uma exposição sobre como o corpo se relaciona com barreiras no espaço. Sejam físicas, sejam políticas, o corpo se configura nessa relação e a partir dela definem identidades e percursos.

O espaço, contudo, é um só, e suas as barreiras são definidas estruturalmente para manter uma ordenação. Os trabalhos e processos apresentados pelos dez artistas sugerem questionamentos a essas barreiras que se ajustam a convenções, operando como limitadores da expressão do indivíduo.

 

(Créditos: Divulgação)

 

  • Complexo Cultural Funarte - Alameda Nothmann, 1058 - Campos Elíseos, São Paulo
    + Ver mapa
  • 05/10/2017 a 04/11/2017
  • Terça a domingo: 11h às 21h.
  • Entrada gratuita.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo