Conflitos: fotografia e violência política no Brasil 1889-1964

O Instituto Moreira Salles inaugurou a exposição Conflitos: fotografia e violência política no Brasil 1889-1964, com curadoria de Heloisa Espada. 

A mostra fica em cartaz até o dia 29 de junho e tem entrada gratuita.

Crédito:(Divulgação/Evandro Teixeira)

 A mostra apresenta um panorama da fotografia de guerras civis e outros conflitos armados envolvendo o Estado brasileiro, entre a Proclamação da República e o golpe de 1964. 

 Heloisa Espada é coordenadora de artes visuais do IMS, e selecionou 338 imagens pertencentes a 30 coleções brasileiras, públicas e particulares, além de fotografias do acervo do IMS.

Crédito:(Divulgação/Fotógrafo desconhecido)

A exposição Conflitos contradiz a imagem do Brasil como um país pacífico e oferece um olhar retrospectivo sobre a história do país, trazendo à tona assuntos fundamentais para a compreensão da atual crise política.

Alguns dos temas abordados são a Revolução Federalista (1893-1894), a Revolta da Armada (1893-1894), a Guerra de Canudos (1896-1897), a Guerra do Contestado (1912-1916), a Coluna Miguel Costa-Prestes (1925-1927), a Revolução de 1930, motins populares na ocasião do suicídio de Getúlio Vargas e episódios violentos durante os primeiros dias do golpe de 1964.

Além de trazer explicações sobre cada um desses conflitos, a exposição aborda o papel das imagens fotográficas em cada episódio, seu uso político e suas formas de circulação, apresentando um amplo panorama histórico do desenvolvimento da fotografia documental brasileira durante o período.

Crédito:(Divulgação/Affonso de Oliveira Mello)

A exposição reúne conjuntos de fotógrafos já inscritos na história da fotografia brasileira, como Juan Gutierrez, Marc Ferrez e Flávio de Barros, além de trabalhos de autores menos conhecidos, como Claro Jansson, e, ainda, imagens de inúmeros anônimos.

A mostra traz cópias em papel de albumina, comuns no século XIX, projeções cinematográficas, fotos impressas sobre vidro, estereoscópios, cartões-postais, cinejornais, impressões em papel de gelatina de prata que pertenceram à redação de jornais e documentários da Agência Nacional, originalmente captados em 16 mm.

  • Instituto Moreira Salles - Avenida Paulista, 2424 - Cerqueira César, São Paulo
    + Ver mapa
  • 09/05/2018 a 29/06/2018
  • terça a domingo e feriados (exceto segunda), 10h às 20h. Quintas, até as 22h.
  • Gratuito.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo