"Com amor, Brigitte" para fugir dos paparazzi

Bruna Thedy interpreta uma musa atormentada pela fama em "Com amor, Brigitte" (Créditos: Jefferson Pancieri)


Na década de 1960, no apartamento de um camareiro de hotel, a atriz francesa Brigitte Bardot se refugia após uma conturbada passagem pelo Copacabana Palace. Neste ambiente nada glamouroso, ela busca a paz que desconhece a partir do momento em que se torna uma musa do cinema. Neste cenário, se passa o espetáculo Com amor, Brigitte, em cartaz no Pequeno Auditório do Teatro do MASP.

Escrito por Franz Keppler, esse episódio realmente aconteceu, mas, no teatro, foi transportado para o apartamento de um funcionário de hotel. Em cena, o questionamento sobre os limites da vida privada de um artista. Sob direção de Fábio Ock (criador da Companhia de Teatro Rock), a peça traz no elenco a Bruna Thedy e André Correa em cenário assinado por Zé Henrique de Paula (Núcleo Experimental de Teatro).

Câmeras no palco

Brigitte Bardot veio ao Brasil nos anos 1960 e sua visita à Búzios ficou internacionalmente conhecida. O que pouca gente sabe é que antes de chegar ao balneário, a atriz teve de ficar quatro dias reclusa em um apartamento no Rio de Janeiro, para fugir do intenso assédio da imprensa e dos fãs, que a aguardavam já na pista do aeroporto do Galeão.

No espetáculo, apesar de se tratar de uma personagem real e viva, o objetivo não reproduzir fidedignamente a atriz e sim a imagem dela construída pelo cinema e pela mídia. Tanto que na montagem de Fábio Ock, câmeras foram dispostas em diversos pontos no palco para registrar e mostrar ao público outros ângulos dessa "Brigitte brasileira". 

“Diante dessa visão bem particular que queremos dividir com o público, vou instalar várias câmeras de segurança no cenário que, em momentos distintos, vão espionar os atores e outras vezes contracenar com eles”, disse o diretor.

 

  • Teatro do MASP – Pequeno Auditório - Avenida Paulista, 1578 - Bela Vista, São Paulo
    1131495959398
    + Ver mapa
  • 26/02/2016 a 26/06/2016
  • Sexta e sábado, às 21h; e domingo, às 19h
  • R$ 50,00 (sexta e domingo) e R$ 60,00 (sábado)
  • Classificação: 16 anos
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo