Violência de gênero é escancarada em peça

(Créditos: Divulgação / Lenise Pinheiro)

 

Fica em cartaz até 11/12, a peça Carne de Mulher, no Cemitério de Automóveis Bar e Teatro.

Nesta peça originalmente italiana, escrita por Dario Fo e Franca Rame, em 1977,  conta-se a história de uma prostituta que está presa no manicômio judiciário por ter ateado fogo no escritório de um industrial.

A personagem conta sua trajetória de vida, revelando uma sequência de abusos, onde o transbordar torna-se inevitável, fazendo com que encontre forças para reagir diante de seus opressores.

 

(Créditos: Divulgação / Lenise Pinheiro)

 

Chegando ao teatro, o público encontra um pote com diversos papeis onde estão escritos nomes de mulheres vítimas de feminicídio ou que foram apagadas pela história de todas as épocas.

Esses nomes vão parar na pele da performer, na carne viva, para dar vida a história de todas elas, por que a memória não desaparece.

“Desde as Pitonisas Gregas, que eram sacerdotisas da maior importância, até escritoras, cineastas, alquimistas e outras que tiveram destaque, mas não são mais lembradas por conta do machismo de nossa sociedade”, conta Paula Cohen, protagonista e responsável pela concepção da peça.

 

(Créditos: Divulgação / Lenise Pinheiro)

 

Quando comprou os direitos para fazer o espetáculo, Paula convidou Georgette Fadel para dirigir. “É uma poderosíssima artista, inteligente, comprometida com o que faz e com um pensamento crítico maravilhoso. Tínhamos um desejo mútuo de trabalhar juntas um dia e ela foi a primeira pessoa que me veio à cabeça”, conclui a atriz.

Toda a equipe técnica da peça é composta por mulheres e sobre a peça, Cohen afirma: "Carne de Mulher é o meu manifesto, o meu ato político. Os artistas têm essa responsabilidade de cutucar a sociedade na sua cegueira, na sua burrice, na sua intolerância. Não temos mais como permitir o machismo. A peça é um grito de libertação, um clamor pelos direitos humanos e, portanto, altamente feminista".

  • Cemitério de Automóveis Teatro e Bar - Rua Frei Caneca, 384 - Consolação, São Paulo
    (11) 2371-5743
    + Ver mapa
  • 20/11/2017 a 11/12/2017
  • Segunda: 21h.
  • R$ 40 (inteira), R$ 20 (meia).
  • Classificação: 14 anos.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo