A história do palhaço que superou doença degenerativa com humor

(Créditos: Reprodução / Facebook / João Caldas)

 

No final dos anos 80, o economista Nando Bolognesi notou, durante uma viagem de intercâmbio, que seu corpo não estava respondendo a estímulos imediatos, quadro que foi se agravando.

Portador de esclerose múltipla, Nando buscou, então, a reinvenção. Aposentou o diploma, virou ator e palhaço e, 25 anos após o diagnóstico, transita entre o cômico, o trágico e o documental em um monólogo emocionante. 

Baseado no livro Um palhaço na boca do vulcão, escrito por ele, a peça Se Fosse Fácil, Não Teria Graça, está em cartaz no TUCA, até o dia 30 de julho.

 

(Créditos: Reprodução / Facebook / João Caldas)

 

A peça narra, sempre com muito bom humor, a trajetória do palhaço. Ele conta como aprendeu a conviver com as limitações impostas por uma doença degenerativa, incurável e com potencial incapacitante.

Nando mescla um relato engraçado, humano e comovente sobre como podemos transformar dificuldades e limites em desafios e realizações, através de reflexões sobre a vida, a morte e nosso lugar no universo.

Sem pieguices, Se fosse fácil não teria graça, é uma tragicomédia nos faz rir e chorar ao mesmo tempo, e também nos convida a repensarmos nosso modo de estarmos no mundo e enxergarmos a vida.

 

  • Tuca - Rua Monte Alegre, 1024 - Perdizes, São Paulo
    (11) 3670-8455
    + Ver mapa
  • 01/07/2017 a 30/07/2017
  • Sexta e sábado: 21h. Domingo: 18h.
  • R$ 60.
  • Classificação: 14 anos.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo